No FISL – Foro Internacional do Software Livre (Edicion 18) eu dei uma palestra chamada “Desconstrua seu próprio machismo geek“, você pode assitir o video da palestra aqui. Se você só quer ler os slides eles estão aquílembre de que para navegar a palestra inteira use a barra de espaços (a palestra esta feita com reveal.js).

Obrigado todas as mulheres anônimas que fizeram a pesquisa e obrigado Andrea Cavallari que fiz um video que mostrei no final da palestra

Para preparar a palestra eu também fiz uma pesquisa, estos são os resultados (leia no final os micro/macro machismos sofridos):

A seguinte pergunta é de control, relacionada com a anterior:

E no final a encuestada podia dizer o siguente

“Sofreu micromachismos de colegas do setor? Pode contar alguns deles? (todas as repostas ficam anônimas)”

de 101 pesquisas respondidas a gente achou 57 respostas desta pergunta.

Percebo muitas vezes que minha palavra/experiência/explicação de um fenômeno não tem o mesmo valor que a de um homem, embora muitas vezes o homem em questão seja menos experiente que eu. Percebo também muitas interrupções durante minhas falas, bem como uma tendência a brincadeiras durante elas. O mesmo não acontece durante a fala de homens em reuniões e acontece durante a fala de outras mulheres

 

Tive que provar na frente de uma equipe inteira de homens que eu sabia o que estava desenvolvendo, quando nenhum outro homem precisou fazer o mesmo. Sofri assédio e ouvi gracinhas o dia inteiro ao ir sozinha prestar serviço em uma empresa cliente da que eu trabalhava. Tratamento diferenciado na equipe, boicote em reuniões importantes e tomadas de decisões. Além de precisar entregar o triplo dos demais e não ter reconhecimento por ser mulher. Pessoas de outro departamento achando que sabiam me ensinar como fazer o meu próprio trabalho. Comentários do chefe sobre minha foto de perfil do facebook. Uso de apelidos e elogios fora do contexto do trabalho. Falar sobre a roupa que visto.

 

Bem, posso citar 2 casos de acontecimentos desse tipo. Mas gostaria de deixar claro, que isto ocorre com frequência e não existe mulher que leve isso numa boa, muitas se calam, infelizmente. 1) Vou contar 2 casos da época da faculdade: 1º caso: Um colega de turma em voz alta faz o seguinte comentário para a professora de algoritmos: “Nossa, professora, se isso para nós já está dificil de entender imagina para a “Mulher”. O mais hilário disso é que a professora é mulher e ela não diz absolutamente nada, para não causar problemas, visto que na sala só hávia eu e ela de “Mulher”. 2º caso: Um colega de turma diz: “Ahh TI não é para mulher não, depois ele olha e vê que eu ouvi e diz: ” Não, a ****(meu nome) , ela sabe, é boa.

 

Sou programadora back end e já recebi tarefa de montar o layout de relatório só porque “mulher tem mais jeito pra layout”. Nessa mesma empresa, após um feedback onde reclamei de piadinhas machistas e comentários sexistas, fui demitida duas semanas depois por “não me relacionar bem com a equipe” e segundo meu coordenador era mais fácil trocar uma pessoa que uma equipe inteira.

 

Em geral eu tive muita sorte nos colegas de equipe homens que tive ao longo de minha carreira. Porém, infelizmente, vejo atitudes machistas partindo de próprias mulheres, o que é muito triste. Entre elas são, gestoras que buscam investigar se as mulheres da equipe pretendem ter filhos, para que possam talvez ser mandadas embora antes de ter que dar a licença. Gestoras que pegam no pé dizendo que deveria estar usando maquiagem. Ou até uma funcionária de RH, que em uma entrevista disse: “Ah, a gestora dessa área é uma mulher também, então você não está tão mal assim”. Falando em entrevista, geralmente são recrutadoras mulheres que fazem perguntas do tipo, nossa é raro ter mulheres programando não é, por que você escolheu essa área? Então o trabalho de mudança de mentalidade alem de focar os homens, tem que atingir também mulheres que ainda não se deram conta das mudanças ao redor.

 

Sim, várias vezes, inclusive fui mandada embora da empresa que trabalhei recentemente por não aceitar piadinhas de estupro, homofobia, e piadinhas sexuais, a equipe simplesmente se afastou por eu não aceitar ser tratada com desrespeito, pararam de me tratar como parte da equipe, o próprio diretor da área me disse que o mercado de trabalho tem muitos homens e eu precisaria me adaptar, infelizmente não vou me calar a respeito da falta de maturidade da empresa e de seus funcionários retrógrados e desrespeitosos.

 

1 – quando havia alguma instrução que eu não sabia fazer, eu perguntava a alguém. Nem sempre essa pessoa podia me auxiliar em tudo, então perguntava aos poucos para cada um e mediante sua disponibilidade. Meu chefe (daquela época) disse que por eu ser mulher, eu dava um jeitinho de falar com cada homem e conseguir o que eu queria, porque os homens fazem o que as mulheres querem. 2 – já ouvi frases como: “você tem certeza que está na profissão certa?”, “Às vezes vc não se encontrou ainda”, “Vc está na profissão errada”..

 

No meu último emprego as mulheres do setor, que eram poucas, eram claramente menosprezadas em relação aos homens. A eles era dado todo o respeito, toda a atenção e até mesmo uma confiança exagerada. Os caras podiam fazer grosserias até com o próprio chefe que eram fodas. A gente não conseguia dar uma opinião que fosse realmente escutada e não questionada sem fundamento. Mas até hoje o que mais me incomoda é que não importa aonde eu vá, o número de mulheres é sempre infinitamente menor e quando se fala sobre isso é sempre no sentido de “temos que contratar mais mulheres pra embelezar o ambiente”.

 

Não sei

 

Sofri vários de diferentes formas em diversas empresas. Na minha primeira experiência de trabalho a minha competência foi questionada devido ao fato de eu ser mulher. E também, durante minha avaliação foi deixado um aviso de que eu não poderia me arrumar para ir trabalhar, pois excitava o desejo dos homens e prejudicava o trabalho em equipe. Todo lugar que trabalho sofro com piadas do tipo o que uma mulher faz na engenharia da computação, vocês não nasceram pra isso e piadas do tipo duvidando que sou mulher porque eu segui esse rumo. Piadas como: não sabia que você usa rosa e comparações das minhas atitudes às masculinas.

Sempre ouço “piadas” como: – mulher tem que ser tester – tinha que ser mulher mesmo, é chata. – não encontra mulher há altura para o cargo de pleno, senior

É comum os homens demonstrarem espanto quando digo que sou programadora. A maioria diz que eu não pareço uma pessoa que trabalha com TI, dizem que eu devo ser de humanas e que eu devo estar zoando quando digo que sou de exatas.

 

Estava a fazer meu trabalho e me mandaram ficar atendendo telefone porque eles não estavam dando conta na black friday, foi humilhante estar numa sala com várias pessoas te olhando a cada telefonema que recebíamos, e eu sem o mínimo de informação para ajudar as pessoas que ligavam. Entre outros…

 

Sim, constantemente as pessoas do meu setor as pessoas se surpreende por ser desenvolvedora de software e fazem a ironia “Sim, ela é desenvolvedora de verdade e das boas”, como se mulheres não soubessem desempenhar tal atividade. A cada nova empresa tenho que superar o olhar de desconfiança das pessoas, mesmo tendo uma bagagem de conhecimento comprovada, parece que nunca é suficiente. Certa vez fiz uma entrevista de emprego que durou 4 horas, onde o entrevistador me fez diversas perguntas que não pertenciam as atividades que eu iria exercer, sempre tentando achar algo não eu não soubesse responder.

 

Não entendo o que significa exatamente um micromachismo, mas deduzindo, acredito q sim. Tive um gerente senior, que dava preferência para trabalhar com homens, e questionava o tempo todo meu trabalho e de outras mulheres, de forma agressiva e na frente de todos. Era humilhante. Quando conversava com outras mulheres, elas sentiam a mesma coisa, e falavam q ele era machista.

 

Trabalhei numa startup por seis meses e tinha interesse de ir para área de desenvolvimento, porém ao invés de estímulos, recebia provocações e cobrança sobre meus conhecimentos. Também tentei fazer um curso técnico no Senac São Paulo, onde só tinham homens e em todas apresentações apenas meus trabalhos eram questionados, fora os assédios, o desconforto foi tanto que desisti do curso.

 

Comentários sobre homens que deveriam ganhar mais pois pagam pensão; colegas mulheres que sempre precisam cuidar de seus filhos em emergências quando os companheiros nunca podem; tentam relevar as opiniões das mulheres em algum conflito na empresa porque “devem estar de tpm”. Fui contratada três vezes apenas porque se interessavam em mim sexualmente e fui demitida no primeiro corte porque não topei (mas aí eu já acho que é macromachismo).

 

Um colega de trabalho recusou trabalhar sobre meus comandos. Só por eu ser mulher. Além de vários assédio sofrindo no ambiente de trabalho.
Já sofri. Acho que nós mulheres devemos nos mostrar mais que os homens pra ganhar alguma promoção. As vezes, fazem menos que a gente e ganham mais ou um cargo maior. Acho que ainda não entenderam que mulher é capaz de fazer e ser o que bem entender.

 

Frases como “será a primeira a desistir do curso” Ou alguém me indicar pra consertar um pc e ficarem surpresos pq era uma menina

 

Sim, já sofri micromachismo dentro da empresa. O mais comum que sofro sempre é os homens que não dão importância ou não prestam atenção no que falamos pelo fato de ser mulher. Já estive em situações em que foi nítida a reação do cara em ignorar complemetamente o que eu estava falando, por exemplo, mexendo no celular. Posteriormente, outros homens diziam algo, e esse cara escutava com a maior atenção até mesmo dando pitacos e opinões demonstrando que está interessado.

 

Eu sofri um machismo grande. De um gerente que só queria me promover se eu fizesse o famoso teste do sofá. Fora isso tive nenhum outro contato (que bom).

 

Já fui interrompida várias vezes quando estava apresentando minha visão e posição técnica sobre determinada resolução de problema. Já ouvi de cliente que só aceitaria aquela definição se a mesma fosse repetida por um homem. Já ouvi várias piadas machistas durante reuniões profissionais, tanto em empresas que trabalhei como de clientes.

 

Talvez em tenha tido sorte nas empresas de TI em que atuei, pois nunca tive problema com machismo. Sempre fui levada a sério. Nunca tive minhas opiniões desprezadas por eu ser mulher e nunca fui menosprezada por isso. Trabalhando na mesma empresa, em equipe formada basicamente por homens, meu trabalho e opinião sempre eram valorizados, e conforme eu assumia novas responsabilidades, era promovida de tempos em tempos. Depois fui transferida para outra equipe formada por mais mulheres, incluindo nas chefias, e ai sim notei que meu serviço já não era valorizado e reconhecido como antes.

 

Ver colegas homens sendo parabenizados nos projetos dos quais participei, muitas vezes pelo trabalho que eu realizei. Não ter minha opinião levada em conta, mas quando um homem fala a mesma coisa que já disse, a opinião dele é considerada. Ter que ter uma postura mais assertiva – e ser incentivada a fazer isso- para depois ser taxada de agressiva, quando colegas agressivos em excesso são apenas de “personalidade forte “…

 

Em algumas entrevistas, ao citar que meu companheiro também exercia a função de programador, ouvi que iam ter que bloquear as redes sociais no meu computador para que ele não fizesse meu trabalho, ouvi que talvez não conseguisse trabalhar em um ambiente onde só trabalhavam homens e por fim, foram realizadas perguntas das quais uma pessoa com meu nível de conhecimento e experiência na época(tinha feito alguns meses de estágio apenas e tinha acabado de começar minha carreira como programadora) para provar que mulheres não serviam para atuar em funções da área de exatas.

 

Sim. Já cheguei a escutar “…foi feito por mulher, não deve ‘prestar’…”, na própria sala de trabalho, em um tom de piada mas que mostra muito o que a pessoa realmente pensa.

 

Minhas soluções técnicas não eram aceitas por um colega de trabalho, mesmo ele sendo de posição inferior a minha. Se um homem desse a mesma solução que eu, era aceita na mesma hora.

 

Não de colegas do ambiente de trabalho, mas na faculdade diversas vezes… O professor fazia diversas piadas, uma vez em suas aulas disse que mulheres eram melhores gestoras de T.I. que homens, porque sua mania de fofocar fazia com que estivessem sempre mais antenadas nas coisas que aconteciam na organização. Também já disse que a códigos possuem tantos bugs porque quem deu o pontapé inicial na programação foi uma mulher, se tivesse sido um homem seria tudo perfeito.

 

Ser interrompida, duvidar de capacidades técnicas, não ter ideias ouvidas por algumas pessoas.. acho que tudo isso faz parte de pequenas atitudes machistas que todas as mulheres passam. Procuro ter um perfil pró ativo, defendo minhas ideias com firmeza, tenho uma postura bastante profissional no trabalho e acho que isso contribui bastante para que as pessoas não se sintam tão a vontade em me falar qualquer coisa. A empresa que trabalho atualmente tem uma mentalidade aberta e tem tido bastante preocupação com esse tipo de comportamento entre os colaboradores. Acho iniciativas como essa muito legais, não pelo “vamos defender o feminismo e ir as ruas” mas no sentido de “estamos preocupados com as pessoas, precisamos entender melhor esse cenário e em como podemos ajudá-las”.

 

Sim, em uma entrevista de emprego, a pessoa queria me contratar. Disse que eu seria a primeira mulher da área de tecnologia ..porque normalmente mulher é mais detalhista, mas não tão boa tecnicamente. Também já ouvi que não poderiam me pagar X porque tinham empregado um rapaz e ele não tava rendendo. Então não dava pra arriscar.

 

Colegas casualmente me explicando como fazer sem eu pedir/ eu pedir pra pararem de discutir o decote de uma personagem na minha frente e não pararem/ o professor dar uma resposta pra mim que girava em volta de mulheres não serem capazes daquilo e responder à mesma pergunta -desta vez proferida pelo meu amigo- seriamente

 

Colegas homens tratam as mulheres como leigas, várias vezes nos deixam falando sozinha mesmo que o assunto esteja correto é como por ser mulher não deveria estar ali é que me ignorar vai me anular no ambiente e assunto.

 

Sou programadora, e um colega de equipe me disse uma vez que “mulher não sabe programar” porque eu tinha feito algo errado no código.
Uma vez eu solucionei um problema para meu colega, no qual ele levaria uns dois dias para resolver, eu dei a possibilidade de resolver em meio-dia. Ele simplesmente me olhou e disse “Até que você é inteligente!”. Outra vez eu pedi ajuda sobre uns processos que eu não conhecia muito, e um outro colega teve que me ajudar (eu era nova na empresa) dai ele me passou um fonte de exemplo por e-mail cujo assunto era “Quem não cola, não sai da escola”. Diversas vezes tive que fazer uma “tese” explicando as coisas para provar que estava certa, enquanto outros colegas não precisam do mesmo esforço para ter sua opinião ouvida, você passa mais tempo tendo que provar que tem razão do que efetivamente produzindo algo útil. Também já passei por situações onde fiz sugestões e dei ideias que não foram ouvidas, mas quando um colega (homem) deu a mesma ideia de forma semelhante foi um sucesso.

 

Meu colega dizer que gosta de me irritar por que fico bonitinha nervosa. A empresa inteira acredita que sou a estagiaria da ti que apenas atende telefone e faz burocracia. Colega incomodar a ponto de te fazer chorar para depois se orgulhar e contar para toda empresa que já conseguiu te fazer chorar uma vez. Pedir para teu chefe falar ao invés demim pq eu sei que se falar, ngm vai dar bola ou vão argumentar contra infinitamente. Ligarem para teu chefe para saber se a informação passada por mim esta realmente correta.

 

– Ouvir que só fui contratada porque era simpática e bonitinha mas não conhecia muito de TI – Dificuldade para falar em uma reuniao – Ter a idéia apresentada pelo seu chefe mesmo que foi você (mulher) quem criou a idéia – Perguntar se estamos esperando mais alguém (homem) para começar a reunião quando só tem eu (mulher) na sala
escrevi sobre isso aqui > https://imasters.com.br/desenvolvimento/onde-estao-todas-essas-mulheres/?trace=1519021197&source=single aqui está mais completo o texto >> https://medium.com/@wwwbrunagon/onde-est%C3%A3o-todas-essas-mulheres-b23ca2611455

Homens pensam que sabem mais do que a gente só por conta do sexo, não acham que porque somos mulheres conseguimos ser inteligentes.
Quando foi preciso um colega revisar meu código para o líder da equipe aceitar a solução.

 

No trabalho, em roda de amigos e em qualquer lugar que vou, por mais desconstruida que a galera esteja, ainda existem os micromachismos. Sejam eles enaltecendo cegamente a mulher como se fosse um ser todo poderoso, livre de falhas ou tendo aquelas opiniões estereotipadas de que no geral mulher é histérica, tem sempre que ser corrigida por algum homem e assim por diante. Até nos trabalhos onde não sinto/senti que perdi promoção por ser mulher é a mesma coisa.

 

Diversas vezes. Em uma empresa anterior, era constantemente interrompida e ignorada, ocasionalmente precisava fazer minhas ideias e sugestões serem ditas por um colega homem para serem consideradas. Já deixei de ser selecionada para um estágio porque iria “distrair a equipe”. Sempre senti necessidade de ser mais “séria” para ser levada a sério e respeitada. Percebo que os piores casos são geralmente de colegas mais velhos e em posição hierárquica superior.

 

Já disseram em uma seleção de uma empresa que nem me consideravam ameça de concorrência para vaga e se por um acaso eu passasse, era só por que queriam mais mulher no setor. Bom, eu passei com melhores notas e eles não.. porém, foi bem complicado administrar na época, eu era muito nova. Infelizmente ainda existe tais situações, mas estamos na vida para superar , melhorar e evoluir constantemente.
Cantadas ocorrem com frequência. Outro caso é quando trabalhava em uma outra empresa realizando treinamento para Analistas Jr e Pl, levando em consideração que era a Analista Sênior da equipe, um dos Analistas se recusava a receber informações minha por ser mulher, mais nova do que ele e estar em um cargo acima do dele.

 

Troquei de profissão recentemente. Vim da área da saúde onde pra mim era um ambiente mais nocivo, não só pelo fato de ser mulher, e tmb por não estar no topo da hierarquia da saúde (médico), mas por ser homossexual. Atualmente trabalho em uma empresa de TI pequena, em torno de 15 funcionarios e somente duas são mulheres. Não sofri nenhuma situação micromachista, pois os meus colegas têm noção do que é machismo e defendem o feminismo. Acredito que sou privilegiada, por trabalhar numa empresa pequena, apesar de ser minoria por ser mulher, neste ambiente consigo ser eu mesma, sem restrições. Acredito que é um reflexo da profissão o fato de ter menos mulheres na minha empresa, pois estatísticamente menos mulheres se candidatam as vagas que são oferecidas. Mas se eu fizer uma análise fora da minha empresa, e sim de colegas do coworking, onde uma parte da nossa empresa trabalha diariamente, posso dizer que já ouvi comentários machistas, homofóbicos e racistas, não ditos diretamente à mim mas que configuram um ambiente hostil.

 

Quando quis trabalhar na área de TI no setor de infraestrutura, meu antigo chefe disse “VOCÊ NÃO TEM CAPACIDADE”, então comecei a disparar meu currículo e três semanas depois do ocorrido fui chamada pra entrevista e contratada. Foi assim que comecei a trabalhar como suporte de sistemas e hoje sou programadora.

 

Durante as reuniões sou constantemente interrompida. Simplesmente não consigo concluir nenhum assunto.

 

Já fui assediada por um professor na universidade, durante uma iniciação científica onde ele era o orientador. Além disso, o gerente do meu trabalho já colocou em xeque minha competência, insinuando que minha performance só era aquela por ser próxima de um funcionário homem.
Já ouvi que não posso ter conhecimentos técnicos por ser mulher, que mulher não possui lógica para programar, constantemente me atribuem atividades de frontend por considerarem que é “trabalho de mulher” mesmo eu demonstrando constantemente que sou melhor no desenvolvimento backend do que qualquer homem da equipe. Além disso, já sofri assédio sexual, chegando a ouvir de um homem que trabalhava na infraestrutura que ele só daria continuidade às atividades necessárias para o projeto porque eu sou “uma loirinha gostosa”.

 

-Meu salário , quando em mesma área e função com homens, sempre foi menor. – No meu primeiro emprego na área, no exame médico de admissão, teve exame ginecológico para saber de gravidez.

 

Um chefe me disse que se eu fosse mais vaidosa e usasse mais batom vermelho eu conseguiria uma promoção mais rapidamente. Um chefe me disse para não usar bermudas porque eu tirava a sua concentração. Um colega disse que não me convidava para palestrar porque ninguém iria prestar atenção na minha palestra porque minhas pernas chamam mais atenção do que minha fala.

 

Tive pouco tempo de experiência em empresas, e felizmente dei sorte de nesse pouco tempo cair com equipes ótimas. No entanto, ainda assim não escapei de pequenas atitudes machistas em situações pontuais. A mais comum era o “Bropriating” em reuniões – eu dar uma sugestão, todos param pra ouvir mas você percebe que não estão prestando realmente atenção no que você está dizendo, e logo em seguida um colega homem repete exatamente o que falei e leva todo mérito pela ótima ideia. Também já tive chefe que por algum motivo só se dirigia a mim quando o outro programador não estava presente, ainda que ele soubesse que eu era a responsável pela solicitação dele.

 

Piadas machistas

 

Receber explicações sobre assuntos que eu domino e ainda ser obrigada a ser supervisionada por um colega homem menos experiente que eu em uma tarefa muito simples por julgarem que eu não teria capacidade
Inúmeras vezes já aconteceu de algum colega homem me pedir ajuda para resolver um problema técnico. Eu ajudo, mas ele não acata minha sugestão /solução… Aí outro colega (homem) diz exatamente a mesma coisa e ele acata. ¯_(ツ)_/¯

 

Senti um certo “mansplanning” por parte de alguns colegas de trabalho. Minha atitude é sempre interromper e chegar à conclusão da explicação o mais rápido possível, indicando que eu sei o que está tentando explicar. Normalmente após alguns meses, consigo mostrar minha capacidade profissional e ganhar a confiança. Mas é sempre algo a ser conquistado, nunca dado de antemão.

As respostas “cruas” podem se achar aquí